terça-feira, 1 de setembro de 2009

" A METAMORFOSE " (Luis Fernando Veríssimo)

Uma barata acordou um dia e viu que tinha se transformado num ser humano. Começou a mexer suas patas e viu que só tinha quatro, que eram grandes e pesadas e de articulação difícil. Não tinha mais antenas. Quis emitir um som de surpresa e sem querer deu um grunhido. As outras baratas fugiram aterrorizadas para trás do móvel. Ella quis segui-las, mas não coube atrás do móvel. O seu segundo pensamento foi: "Que horror... Preciso acabar com essas baratas..."

Pensar, para a ex-barata, era uma novidade. Antigamente ela seguia seu instinto. Agora precisava raciocinar. Fez uma espécie de manto com a cortina da sala para cobrir sua nudez. Saiu pela casa e encontrou um armário num quarto, e nele, roupa de baixo e um vestido. Olhou-se no espelho e achou-se bonita. Para uma ex-barata. Maquiou-se. Todas as baratas são iguais, mas as mulheres precisam realçar sua personalidade. Adotou um nome: Vandirene. Mais tarde descobriu que só um nome não bastava. A que classe pertencia?... Tinha educação?.... Referências?... Conseguiu a muito custo um emprego como faxineira. Sua experiência de barata lhe dava acesso a sujeiras mal suspeitadas. Era uma boa faxineira.

Difícil era ser gente... Precisava comprar comida e o dinheiro não chegava. As baratas se acasalam num roçar de antenas, mas os seres humanos não. Conhecem-se, namoram, brigam, fazem as pazes, resolvem se casar, hesitam. Será que o dinheiro vai dar ? Conseguir casa, móveis, eletrodomésticos, roupa de cama, mesa e banho. Vandirene casou-se, teve filhos. Lutou muito, coitada. Filas no Instituto Nacional de Previdência Social. Pouco leite. O marido desempregado... Finalmente acertou na loteria. Quase quatro milhões ! Entre as baratas ter ou não ter quatro milhões não faz diferença. Mas Vandirene mudou. Empregou o dinheiro. Mudou de bairro. Comprou casa. Passou a vestir bem, a comer bem, a cuidar onde põe o pronome. Subiu de classe. Contratou babás e entrou na Pontifícia Universidade Católica.

Vandirene acordou um dia e viu que tinha se transformado em barata. Seu penúltimo pensamento humano foi : "Meu Deus!... A casa foi dedetizada há dois dias!...". Seu último pensamento humano foi para seu dinheiro rendendo na financeira e que o safado do marido, seu herdeiro legal, o usaria. Depois desceu pelo pé da cama e correu para trás de um móvel. Não pensava mais em nada. Era puro instinto. Morreu cinco minutos depois , mas foram os cinco minutos mais felizes de sua vida.

Kafka não significa nada para as baratas...

51 comentários:

  1. Ninguém se leva nada para a outra vida. A vida do ser humano é complicada.

    Zoila Ayllon
    Primeiro Ciclo
    8:00 - 9:00am

    ResponderExcluir
  2. oi professor. tem sido muito fácil pra mim descobrir a moral da história. A barata representa as pessoas que de um momento para outro, tornar-se rico ou muito importante, deixar-se levar pelas banalidades da vida; esquecem completamente as pessoas que estavam com ele (as baratas) .
    Esta história pretende ensinar que as pessoas não tenham adquirido a vida . Não ser influenciado pelas superficialidades. "sempre tem que pôr os pés no chão" Dar o melhor de si mesmo .UMA BOA MORAL!! VALEU

    ResponderExcluir
  3. oi professor. tem sido muito fácil pra mim descobrir a moral da história. A barata representa as pessoas que de um momento para outro, tornar-se rico ou muito importante, deixar-se levar pelas banalidades da vida; esquecem completamente as pessoas que estavam com ele (as baratas) .
    Esta história pretende ensinar que as pessoas não tenham adquirido a vida . Não ser influenciado pelas superficialidades. "sempre tem que pôr os pés no chão" Dar o melhor de si mesmo .UMA BOA MORAL!! VALEU

    ResponderExcluir
  4. Não tenho lido Kafka ainda para comparar os textos, mas acho nesta historia muito sentido e muita verdade sobre nossas vidas atualmente, onde um nome não basta para definirmos e cada vez se requer de mais, o consumo e o dinheiro dá um ritmo acelerado às nossas vidas.

    Mas não se tem que ser uma barata primeiro ou depois para fazer um cambio e pôr as coisas mais importante primeiro como a família e os amigos.

    Giuliana C. Soto

    ResponderExcluir
  5. Não sempre o dinheiro é a felicidade; devemos melhorar, crescer, mas nunca esquecer de onde vimos. Quando o dinheiro chega fácil, fácil se vai.
    Cristina Montoya - Básico I - Segunda e quarta feira 7.15 a 9.15

    ResponderExcluir
  6. Boa história, muitas vezes as pessoas esquecem o verdadeiro sentido da vida eo mais importante é a amizade, o amor ea família.
    Dinheiro não é tudo, o mais importante é o que você vive ea felicidade que você compartilha com as pessoas que você ama.

    Judith
    Primeiro ciclo
    Segunda, Cuarta e sexta feira
    às 8:00 - 9:30 da manhã

    ResponderExcluir
  7. Para min, a moral que deixa a historia é: as pessoas siempre voltan para aquilo que são realmente; e o que pretende ensinar el conto é que quando as pessoas melhioram na vida não devem esquecer que foram e de onde vierom. O dinheiro e as conquestas materiais são nada nessta vida, mas a maneira de ser de cada pessoa é o que ao final vale.
    Lilian Cabrera - Primeiro Ciclo
    Segunda, quarta e sexta-feira 8h ate 9h30min

    ResponderExcluir
  8. a Felicidade é quando nós entreguemos verdadeiramente com honestidade,Não dinheiro, Não beleza física, só admiracão, respeito, é deleitar uma sorriso, uma olhada, é pular arriscar todo por um beijo do pessoa tal qual é, Não hay defeito, só amor, perdão e paixão.

    Sarinha

    ResponderExcluir
  9. Eu hei gostado da leitura, e contestando as perguntas:

    1. Eu penso que a moral da historia seu refere a quem nunca devemos olvidar nossos inícios sempre há que tem humildade e respeito por uno mesmo
    2. Este conto pretende ensinar que os seres humanos têm perdido o essencial quem é vir à vida sendo simples e singelos. Há quem vir a vida buscando satisfazer nossos instintos mais profundos que seu amor, liberta y felicidade, sim dar muita importância ao material.

    Jaime Collantes
    Primeiro ciclo
    Segunda, quarta e sexta-feira
    08:00 ate 09:30 horas

    ResponderExcluir
  10. Prezado Lev,

    Esta é a minha interpretação do conto de Veríssimo:

    Acho que as baratas simbolizam a miséria, a pobreza não só material (dinheiro), senão também espiritual, ao ponto que as baratas não pensam: se guiam pelo suo instinto. Mas, ¿que sucede quando uma barata transforma-se em um ser humano, ou, o que é o mesmo, quando uma pessoa sai da sua ignorância e miséria para progredir na vida? Pois deve lutar, sofrer para não morrer de fome. Embora, alguns que progridem –como a Vandirene do conto de Veríssimo– esquecem-se de seus próprios origens (“preciso acabar com essas baratas” pensou Vandirene) e são consumidos pelo dinheiro e pelo bom-viver, e chegam a pensar somente nisso (o último pensamento humano da Vandirene foi sobre o seu dinheiro). Algumas vezes, essas pessoas terminam como começaram ou pior; outras vezes conservam o suo dinheiro, pero espiritualmente são miseráveis e infelizes. O que não lembram -ou não querem lembrar- é que uno pode ser feliz, com o sem bens materiais.

    Pelo outro lado, devo admitir que Luis Fernando Veríssimo é original, embora adota uma história muito conhecida da literatura universal, ainda calcando o título (falo da obra mestra de Franz Kafka, “A metamorfose”). O autor logra dar-lhe uma profunda virada à história de Gregório Samsa, e narra uma nova: no só fala da degradação humana; vai muito mais lá: fala das nossas aspirações, logros, atitudes e transformações em nós quando os conseguimos, e as nefastas conseqüências de uma vida fútil.

    Renzo
    Primeiro ciclo

    ResponderExcluir
  11. As pessoas em contraste dos animais sempre têm objetivos e metas na vida, sempre buscam superação.
    As baratas não pensam, siguem apenas seu instinto

    Ricardo Y - Básico I - Segunda e quarta feira 7.15 a 9.15

    ResponderExcluir
  12. Os humanos ao contrário dos animales deve pensar antes de fazer as cosas e não agir por instinto.
    Para as pessoas que de um dia para outro mudam de vida as coisas não têm valor e só desperdiga.
    Blanca J.-primeiro ciclo- segunda e quarta feira

    ResponderExcluir
  13. O texto destaca as qualidades humanas:
    desprezo por aqueles que pertenciam ao seu ambiente (o desprezo de uma ex barata: "Que horror... Preciso acabar com essas baratas..."), o sofrimento, esforço.
    Ele percebe o quão difícil é a vida humana, no entanto esquece de tudo quando tem dinheiro, eo pior de tudo, a última coisa que ele pensa antes de voltar a ser barata é que fazer com sua propriedade e seu dinheiro. A barata não pensar no que eu tinha experimentado. "A verdadeira riqueza não é a riqueza material, é a riqueza espiritual”

    Juan Calcina
    Primeiro ciclo
    Segunda, quarta e sexta-feira
    08:00 - 09:30 horas da manhã

    ResponderExcluir
  14. Miguel Angel Vallejo3 de setembro de 2009 23:25

    Que bom conto! Eu acho que toda a literatura tem não uma mas muitas morais. Para mim, aquí se enfrentam dois características dos homens: o instinto e a cultura. A cultura é a forma de ver o mundo pelo pensamento simbólico: a língua, as costumes, etc. Às vezes, eu gosto mais dos animais que dos homens, especialmente cuando a cultura é mais perigosa que o instito (os campos nazis são un bom ejemplo). Mas,a maioria das vezes, eu prefiro a cultura... como liendo este conto. Você tem algum livro de Rubem Fomseca?

    Eu gostei muito de o seu blog. Parabéns!

    Miguel Angel Vallejo

    ResponderExcluir
  15. O dinheiro não faz a felicidade. A coisa mais importante é estar ao lado das pessoas que você mas ama. Uma boa lição!!!

    Maria Socola

    ResponderExcluir
  16. Pois é, pessoal, a dualidade humana... Concordo com todos os comentários: como fica difícil “existir socialmente”, né? E como a gente passa a privilegiar coisas banais... Esquecemos nossa origem espiritual.
    Miguel, infelizmente não tenho livros do Fonseca, apenas do Machado de Assis que tanto gosto, mas tentarei compensá-lo no próximo post.
    Bom fim de semana pra todos!
    Lev.

    ResponderExcluir
  17. s seres humanos não se lembram dos maus momentos da vida, muitas vezes esquecemos de onde viemos e temos nossos pés no chão, principalmente quando temos um monte de dinheiro e certa estabilidade econômica nestes tempos é preciso ser humilde e ser grato a vida para a saúde eu bem-estar dos nossos entes queridos.

    Erick Calle Bravo - Básico I - Segunda e quarta - feira - 07:15 a 09:15 horas

    ResponderExcluir
  18. A moral é que devemos aproveitar cada segundo de nossas vidas, porque a gente nunca sabe quando as coisas vão terminar e assim tudo o que agora importa e pode parecer um grande problema ou necessidade se tornará numa mera frivolidade.

    Daniel Flores N. / 1er Ciclo / 8h - 9h30min

    ResponderExcluir
  19. Boa Noite:
    Eu acho que a moral do conto é que as pessoas devem ter muito claro que as coisas que chegam fácil, fácil se vão e que devemos viver ao máximo e desfrutar cada dia de nossa vida e não pensar que somos mais porque temos mais dinheiro ou coisas materiais, porque todo isso se acaba rápido e não dá a felicidade para toda a vida quiçá só por um tempo quando satisfazemos nossas necessidades supérfluas mas não o é tudo já que nós precisamos principalmente da amizade, o carinho , o amor que temos a nosso arredor , e o dinheiro não pode evitar a morte, os acidentes, as doenças, etc, como sucedeu com Vandirene que o que conseguiu fácil ao final fico para seu marido que não merecia o dinheiro e ela morreu muito rápido trás de um móvel. Foi um final muito triste pobre barata.

    Cinthia Llamocca A.
    2º ciclo
    Segundas e quartas - feiras
    De 05:00 até 07:15 Hrs.

    ResponderExcluir
  20. Baratas baratas ...

    Eles estão tão habituados a nós e aos nossos resíduos
    e são tão úteis ...
    no entanto, são ilegais e desaprovado por nós mesmos ...
    mas a eles não é isso que importa.
    nossa complexidade é o que nos torna dependentes
    julgamento de um outro homem, porque estamos conscientes da
    presença de outra pessoa ...
    Esta é a linha tênue que nos separa de outros animais.
    O estranho é que os homens e as baratas têm uma única finalidade
    Sobrevivendo ... e da seleção natural com base em Darwin 150 anos atrás
    Agora, não é tão natural para nós, pois não é baseada em nossa física
    Se não estiver em nossos pensamentos, idéias, argumentos, etc.
    Neste mundo de competição agressiva pode parecer irônico que,
    Nós somos os únicos animais que tentam sobreviver em nosso
    Auto-destruição.

    JVRF.
    Hoje aqui, amanhã não sei ...

    ResponderExcluir
  21. Oi prof. Lev,
    Eu não encontro muitas coisas nova para dizer, considerando todos os comentários anteriores. Eu acho que as últimas linhas do conto são as mais interessantes: “Não pensava mais em nada. Era puro instinto. Morreu cinco minutos depois, mas foram os cinco minutos mais felizes de sua vida.” ¿Por quê foram esses cinco minutos os mais felizes, se antes tinha tantas coisas e tanto dinheiro? Talvez porque agora não tinha que pensar em tantas coisas, não tinha tantas preocupações, só tinha o instinto, os sentimentos. Às vezes as pessoas deixam que as preocupações e dificuldades da vida sejam o centro dela, e tratam de planificar todo o que passará nelas, mas nós somos também animais, temos instinto, temos sentimentos, e também é bom deixar-se levar por eles.

    Fernando Alva M.
    Segundo Ciclo
    Segunda e Quarta - feira, 17:00 – 19:15

    ResponderExcluir
  22. Acho que o texto tenta de explicar o difícil que é pertenecer uma sociedade materialista donde só importa o “cuanto tem, cuanto vales” mas de que sirve ter dinheiro mas não se tem o amor da familia ou apreciação dos amigos que são às pessoas que realmente importa, porque o final quando às pessoas morrem não se levam as coisas materiales ou a posição social.

    Erika V. Reyes Romero
    2º ciclo
    Segundas e quartas - feiras
    De: 05:00 até 07:15 Hrs

    ResponderExcluir
  23. Os seres humanos muitas vezes acham que o dinheiro é um fator imprescindível para sua felicidade, pelo contrário para os animais (como as baratas) o dinheiro não os faz mais ou menos felizes.
    O dinheiro não deve fazer mudar às pessoas, devemos ser humildes e não esquecer nossas raízes. Devemos ser conscientes que todo o que chego rápido se pode ir da mesma forma.
    Boa historia professor.

    Martin Cornejo Sarmiento
    1º ciclo
    Segundas e quartas - feiras
    De 07:15 até 09:30 da noite.

    ResponderExcluir
  24. Eu acho que a barata passou a melhor vida com sua familia, antes ela não tinha conhecimento de os sentimentos que sentiu tendo uma família e sendo uma pessoa, as preocupações da vida fez a vida mais importe, mais como uma barata não teve sentimentos nim nada.

    Myrtha De La O´
    2do Ciclo
    segundas e quartas ferias
    de: 05.15PM até 07.15PM

    ResponderExcluir
  25. IVANNA CAÑAS URCIA10 de outubro de 2009 14:45

    professor e eu li o texto e percebi que a barata representa os caracteres do texto é que de um momento de sua vida para outro ficar rico e desconhecido se, e esquecem a sua origem.

    professor boa tarde, até o próximo sábado

    IVANNA CAÑAS URCIA

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Boa Historia professor, porque pretende ensinar que as pessoas não devem esquecer que foram e de onde vierom, a vezes algunas pessoas. Quando melhoram na vida seu situação econômica esquecem que o mais importante nesta vida é o amor de a familia, amigos, o respeito e sobe tudo a humildade, porque quando o dinheiro chega fácil, fácil se vai, e é nesse momento quando não são nada, quando conhecemos àos verdadeiros amigos, o dinheiro não traze a felicidade senão a afasta dela.

    ResponderExcluir
  28. Professor, muito bonita a historia. Eu acho que as baratas representam a verdadeira felicidade, elas não precisam de as coisas materiais pra viver, elas só vivem por instinto sem ferir outras baratas. As pessoas muitas vecez não estão felices com o que temos, sempre precisamos de mais; nós não sabemos o real valor da felicidade que nos da nossas familias
    e nossos verdadeiros amigos. O dinheiro é necessario em nossas vidas mas não é o mais importante.

    ResponderExcluir
  29. Eu gostei muito da historia. Acho que as pessoas esquecem que não é o dinheiro ou a bom emprego, o que nos fazem mais FELICES. É conhecer de onde é que nós vimos é amar as pessoas como é que são. As veces não lembramos que a coissa mais importante é ser feliz, e nós deixamos levar pelas coisas materiais. Nós fomos feitos para ser felices.

    CARLA AGREDA
    SABADOS 2DO CICLO

    ResponderExcluir
  30. Em tuda a primeira parte do texto encontro um parecido quando Eva mordeu a maça e passou de morar feliz no Eden a descobrir novos sentimentos.
    As baratas representam as pessoas que vivem felices e não têm problema de nada,que se aceitam como são e que não acham o dinheiro, as roupas caras, a boa vida material o mais importante de suas vidas.
    Mas quando uma delas se transformou em pessoa mudou completamente, agora já não ficava feliz com o que ela era, morava inconforme e sempre querería mais.
    Então, este texto mostra a disjuntiva que temos as pessoas entre o material e a felicidade. Temos que ter dinhenrio para ficar felices? Acho que o dinheiro é importante mas e melhor viver ao máximo essos "cinco minutos antes de morrer". O dinheiro não é a felicidade é só um complemento dela.

    Evelyn Maldonado
    sab. 2do ciclo

    ResponderExcluir
  31. Olá professor, achei bem interessante a história, e posso enteder a importância que tem para um mesmo eleger e decidir, na história a barata não teve opção, ela simplesmente já era uma coisa que não tinha pensado ser ou fazer; são as acções as que nós fazem que nos lembrem ao final de tudo. A vantagem do ser humano é que ele mesmo tem a responsabilidade de assumir as consequências de seus actos, ele mesmo sabe que é o mais importante, o que vale a pena é estar contente com o que tens, porque um tem o que merece; a vida é sábia.

    ResponderExcluir
  32. Saudações professor esta história eu achei muito bom.

    O que eu posso refletir sobre esta história é que, em geral, tentamos de ter conforto, dinheiro, pensando que em estes encontrar a felicidade e não percebem que a verdadeira felicidade é encontrada dentro de nós mesmos em nossa essência e natureza.

    2º Ciclo
    Sábados 9:00 - 12:00

    ResponderExcluir
  33. Eu acho muito interessante esta história e ademais com uma linhea filosofal. Nesta história ou leitor pensa e aborda temas profundos como a comparação sobre as coixas materiais e as coixas espirituais. As coixas materiais são aquelas coixas como ou dinheiro, e as coixas espirituaes são as razoes dá existência de um ser humano.

    Em certo tempo de nossa existência nos devemos pensar sobre aquelas coixas que realmente são a felicidade para nos, como a família, amigos e a essência.


    Lisseth Lipa
    Segundo Ciclo
    Sabados 9 hrs ate 12 hrs

    ResponderExcluir
  34. É uma história muito interessante que tem um mensagem muito verdadeiro, porque no mundo de hoje, as pessoas dão muita importância às coisas materiais e fazem tudo para obter-las, porque pensan que assim vão conseguir a felicidade. Deste modo, dedicam suas vidas a ganhar mais dinheiro e igualmente nunca estão felizes, porque sacrificam muito para isso, como sua família e amigos.

    Acho que o autor pretende mostrar que, é verdadeiro que o raciocínio nos diferencia de outras espécies, mas também torna nossa vida mais difícil, porque as decisões do dia a dia determinam nosso futuro. Então as pessoas devem pensar antes de agir e compreender que as coisas materiais não são tudo na vida.

    Jorge Luis Alvarado
    2° Ciclo
    Sábados 9:00 - 12:00

    ResponderExcluir
  35. “A METAMORFOSE” (Luis Fernando Veríssimo)

    COMENTÁRIO

    Recreação breve de A Metamorfose de Franz Kafka, o conto de Luis Fernando Veressino expõe a transformação de uma barata em mulher; a bem diz, a humanização da natureza. Sem embargo, esta é uma leitura ao pé do texto; em realidade, o conto é uma metáfora que aborda nossa angústia e desesperação, nossas necessidades não satisfeitas. Em estas circunstâncias, um golpe de sorte, um premio na loteria, gera uma nova metamorfose: escalar para uma posição privilegiada. Sem embargo, tudo pode ser só um sonho, um desejo; uma imaginação que de súbito estala como pompa de sabão e nós volta â dura realidade para continuar trabalhando e sobreviver desumanizados sim a necessidade de transformar–nos em a barata imaginada por Kafka.
    Pablo LANDEO

    quarta-feira, 14 de outubro de 2009

    ResponderExcluir
  36. Cecilia Gutierrez20 de abril de 2010 18:06

    Acho que a moral do conto e que as coisas mais importantes na vida não são dinheiro,luxo,joias.Aquelas coisas são transitórias. O mais importante e quem somos en o fundo.

    Cecilia Gutiérrez- 1er ciclo-segundas e quartas feiras

    ResponderExcluir
  37. Julio Garcés
    pode ter tudo que você sempre quis, então "wake up", na realidade, e você percebe que tudo é ficção: a sua felicidade, sua vida "e até mesmo o que você queria.
    1 ciclo-segundas e quartas feiras 7:15-9:30

    ResponderExcluir
  38. Vania Garcés
    seres humanos pode ser muito superficial e não percebe que há coisas mais importantes do que coisas materiais, e se você percebe que é tarde demais.
    1 ciclo-segundas e quartas feiras 7:15-9:30

    ResponderExcluir
  39. Carolina Valenzuela

    Eu acho que a moral do conto tem que ver com á transformação de perspectivas sobre uma realidade. Vemos como o personagem começa a ver as coisas de outro ponto de vista. E ele percebe que é usado por seus pais para sobreviver e pagar a dívida.
    Reflete a solidão a que são submetidos pela sociedade que nos rodeia através de uma alegoria o autor revela seus sentimentos mais íntimos sobre o homem.

    1 ciclo segunda, quarta e sexta feiras 8-9:30

    ResponderExcluir
  40. Jesús Rodríguez:
    Eu acho que a moraleja do conto é que os seres humanos esquecemos e confundimos as coisas muito importantes das menos. O mais importante nesta vida não só é o triunfo econômico, senão quanto uma pessoa o desfruta.

    primeiro ciclo, segunda, quarta e sexta feiras, 8-9:30 am

    ResponderExcluir
  41. pobre barata!!!! a vida de uma barata é simple, sem ter que pensar!!! só pelo instinto, sem ataduras....

    a moral do conto é que ninguém ter a vida comprada, tudo poe trocar em 5 minutos, por isso uma pessoa deve vivir a cada instante como o último.

    Ana Lucía, segundas y quartas feiras, 7:15 a 9:30 pm

    ResponderExcluir
  42. oi lev, pelo final do conto onde a barata foi mais feliz na última parte da sua vida cuando ela é barata outra vez, eu acho que a moral é que as pessoas nesta vida não vão ser felices tratando de ser quien não são.

    ResponderExcluir
  43. bem como várias pessoas já disseram, o tema do dinheiro é um problema no presente, embora o dinheiro é necessário, não é fundamental. As pessoas deveriam saber quem são e amar-se como elas são, não finja ser outra pessoa.
    marco trujillo
    primeiro ciclo
    segundas y quartas feiras 7:15 - 9:30pm

    ResponderExcluir
  44. O ser humano esquece muito de seus próprios origens quando obtem dinheiro a vida do ser humano muda, o dinheiro é necessàrio mais não e tudo, e não tudo dura para sempre pois ninguém tem a vida comprada e aceitar quem somos na realidad ser feliz viver bem com tranquilidade é o fundamental.

    ResponderExcluir
  45. ainda bem que eu achei esse texto...

    ResponderExcluir
  46. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  47. kafka ,é mesmo!
    Tanto para Gregorio Samsa(metamorfose-frank kafka)como para Vandirene, mudar para um bicho e vice-versa ,se mostram de forma esmagadoramente , a nececidade de pertencer a algum lugar e manter relacionamenteos com a gente ao seu redor.

    e as vezes,quer ser um bicho, é coisa de eleção

    Brenda C.S
    T-Q: 7-8.30PM

    ResponderExcluir
  48. Uma história para refleitar!
    As pessoas devem aproveitar as oportunidades da vida enquanto esta vivo mas sem esquecer quem é e de onde vem.

    Lily R.
    T-Q: 7-8:30PM

    ResponderExcluir
  49. Uma história para refleitar!
    As pessoas devem aproveitar as oportunidades da vida enquanto esta vivo mas sem esquecer quem é e de onde vem.

    Lily R.
    T-Q: 7-8:30PM

    ResponderExcluir
  50. Uma história para refletir!
    As pessoas devem aproveitar as oportunidades da vida enquanto está vivo mas sem esquecer quem é e de onde ele vem.

    Lily R.
    T-Q: 7-8:30PM

    ResponderExcluir
  51. Este relato nos explica como é a natureza humana, como a influencia do sistema mercantil faz que as pessoas mudem suas percepcoes no tempo, geralmente pelo fator dinheiro. Por isso é importante praticar o autoconhecimento, compartilhar é valorar as boas pessoas, nao ser ambicioso porque finalmente tarde ou cedo, umo termina deixando este mundo sem nada material, mas o que a gente vai-se lembrar sempre são as boas acoes.

    Johan T.
    Avancado
    Tercas & Quintas
    7:00 - 8:30 pm

    ResponderExcluir